Categorias
Heitor Freire

Saga de uma profissão II

O dístico inscrito no monumento aos corretores de imóveis –  “SEMPRE PRESENTE NO PROGRESSO” –  retrata com muita fidelidade a natureza da profissão. O corretor de imóveis é um profissional que se destaca pelo pioneirismo e pela criatividade: assim foi, por exemplo, na expansão e ocupação do norte do Paraná, na colonização do norte do estado de Mato Grosso, na implantação de Alta Floresta (fruto do gênio empreendedor de Ariosto da Riva que, em nosso estado, criou Nova Andradina), chegando sempre na frente, abrindo caminhos, criando oportunidades. Na história recente do nosso estado, temos o trabalho de Júlio Alves Martins, que criou o município de Chapadão do Sul e contribuiu para a ocupação de toda aquela região, vendendo fazendas.
No início das atividades em nosso estado, de uma forma mais ativa, foi criada a Associação Profissional dos Corretores de Imóveis do Estado de Mato Grosso, com sede em Campo Grande, que foi o embrião do que se tornaria o futuro Sindicato.
Desta associação, destacamos o trabalho de Amaro de Castro Lima (presidente-fundador), Juvenal Alves de Brito, Arthur Jorge José Salomão e Ubirajara Roehr, todos também presidentes. Dos pioneiros, Pedro Martins, Leopoldo Chacha, entre outros.
O grande líder que se afirmou como verdadeiro comandante, sem dúvida nenhuma, foi Ubirajara Roehr, fundador e primeiro presidente do Creci e também do sindicato.
Em nosso estado, há uma característica única: as entidades do mercado imobiliário – Sindicato, Conselho Regional, Secovi e CVI – atuam de forma coordenada, conjunta, unidas, buscando o aperfeiçoamento do mercado e do corretor de imóveis. Isto começou com a criação da Câmara de Valores Imobiliários, em 1983, e de cujo quadro de associados todos os presidentes fizeram parte inicialmente.
As grandes conquistas obtidas na nossa história sempre passaram por essas entidades que sempre agiram associativamente. Quando se iniciou a consolidação do status de profissional liberal, através da instituição de cursos de grau superior, destacou-se Levi Faustino Ratier, na ocasião presidente da Câmara de Valores Imobiliários. Ele começou o trabalho para a implantação do curso superior de Ciências Imobiliárias, e convidou o colega Sérgio Gonçalves para tomar as providências nesse sentido, em estreita colaboração com o sindicato, cujo presidente à época era o Walter Aparecido Leite Júnior.
Foi assim iniciada uma ação envolvendo as entidades do mercado imobiliário com a UCDB – Universidade Católica Dom Bosco –, cujo reitor, Padre José Marinoni não economizou esforços até a homologação desse curso.
Foram presidentes do sindicato, além dos já mencionados:  
Claudemir das Neves (posteriormente também presidente do Creci, e hoje, coordenador nacional de fiscalização), (1989/1991);
Dalton de Souza Lima, (1992/1994 e 1995/1997), depois prefeito de Corguinho;
Walter Aparecido Leite Júnior, (1998/2000);
Misael Hélio Lacerda Lemos (hoje presidente da CVI – Câmara de Valores Imobiliários) (2001/2003);
Gabriel Serafim da Silva  (2004/2006);
Renato Proença Brun (2007/2009); e o atual James Antonio Gomes, presidente recém empossado, para o período 2010/2012.
Mencionarei algumas iniciativas deles, de forma coletiva, para não correr o risco de cometer injustiças. A intenção é realçar as que, no meu entender, foram mais destacadas:
– Convênio que viabilizou a utilização do  Serasa, através do sindicato, aos corretores de imóveis;
– Convênio com a Prefeitura Municipal –  firmado em 1997, para a obtenção de guias do cadastro imobiliário municipal –, o que facilitou muito o trabalho dos colegas;
– Convênio com a Câmara de Valores Imobiliários que facilitou aos corretores sindicalizados o acesso à planta genérica de valores imobiliários;
–  Diversos convênios médicos, odontológicos e outros;
– Criação da sala do corretor de imóveis, facultando aos colegas sem escritório o acesso a computadores e internet;
– Implantação, em parceria com as demais entidades do mercado imobiliário e a UCDB, do primeiro curso superior de gestão imobiliária;
– Convênio com a Caixa Econômica Federal, para venda dos imóveis adjudicados;
– Contratação de assessoria jurídica para atuar na sede do Sindimóveis;
– Ampliação do serviço do terminal da prefeitura, com a implantação da emissão de Guias de ITBI para imóveis financiados;
– Convênio com o Tribunal de Justiça para venda de imóveis em leilão judicial, por corretores de imóveis.
Como se vê, grandes foram as conquistas feitas em benefício dos corretores de imóveis, através do trabalho dedicado, consciente e devotado das diversas diretorias que se sucederam na administração do nosso sindicato.
Salientamos a ação de Fuad Anache, que revelou  grande altruísmo, ao doar  uma área de 2 hectares para a construção da sede de campo do sindicato, cuja obra tem merecido atenção de todas as diretorias para sua conclusão.
Por uma questão de justiça, temos a destacar a participação da nossa eterna e eficiente secretária geral, Ione Santos Souza, que, desde 1992,  se transformou na espinha dorsal das diversas administrações que se sucederam e num fator de consolidação do nosso sindicato.
Em todas as gestões, tivemos sempre, o Baile do Colibri (ave símbolo do corretor de imóveis), que é a grande confraternização anual da classe.
Heitor Freire
Corretor de imóveis  e  advogado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *