Área restrita



Quem está online

Nós temos 32 visitantes online
Buscai em primeiro lugar... PDF Imprimir E-mail
Escrito por Heitor Freire   
Ter, 15 de Maio de 2018 22:09
BUSCAI EM PRIMEIRO LUGAR...
O descobrimento de que a vida é uma experiência rica, única e maravilhosa, ocorre quando nos damos conta de que tudo depende de cada um de nós. Cada um é o comandante do seu próprio barco.
Diria, por analogia, que nós poderíamos ser comparados ao capitão de um navio, empreendendo uma viagem onde poderão ocorrer tempestades, ondas agitadas, levantes, motins, calmarias, bonança e intempéries das mais variadas.
Para viajar é preciso planejamento prévio e planejamento de manutenção durante o trajeto, relativo ao que for possível para pôr a embarcação em funcionamento. Pois é, mas é aí que a porca torce o rabo. Porque a vida nos proporciona a cada momento situações inesperadas e que nada têm, muitas vezes, de planejamento. Não devemos nos deixar levar num primeiro instante; temos que pensar, refletir. Virão certamente pressões veladas ou ostensivas. Devemos buscar o ponto de equilíbrio. Ocorrerão erros, isso é normal. Só erra quem faz. Dos erros, extraem-se as maiores lições. E somente acerta quem tem iniciativa, coragem, quando chega a hora da decisão.
Um dos segredos, talvez, seja o de dar o braço a torcer, mesmo se você estiver certo. O exemplo mais marcante dessa atitude foi, sem dúvida, o de Jesus, que sendo quem é, abdicou de seu poder, para submeter-se aos poderosos do seu tempo, mas sem renunciar ao seu conhecimento.
Outro exemplo histórico foi o de Galileu Galilei que, apesar de estar absolutamente certo de que a Terra é redonda, retratou-se perante a Igreja Católica para não ser condenado à fogueira como havia sido Giordano Bruno.
Recebi uma mensagem, pela internet, de autor desconhecido que me levou a refletir sobre o seu ensinamento: Em qualquer hipótese e em qualquer situação nós só usamos 30% do que dispomos. O restante, seja em móveis, imóveis, roupas, dinheiro, etc não é usado por nós e fica para os outros.
"Por que ficais preocupados com a roupa? Olhai como crescem os lírios no campo: eles não trabalham nem fiam. Porém, eu vos digo: nem o rei Salomão, em toda sua glória, jamais se vestiu como um deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é queimada no forno, não fará muito mais por vós, gente de pouca fé?” (Mateus 6,28-30)
Quantos, por exemplo, têm muitos bens que não são usados e que geram despesas, e uma ilusão de poder, de riqueza? A realidade é que é mais importante, viver muito do que ter riqueza, ostentação.
Então, devemos proteger e fazer bom uso dos nossos 30%. Aprender a deixar ir, mesmo se você enfrentar grandes problemas. Manter-se humilde, mesmo se você for muito rico e poderoso. Aprender a ficar satisfeito, mesmo que você não seja rico.
Especialmente, colocar Deus como a prioridade número 1 da nossa vida.
“Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e Sua justiça e tudo o mais vos será dado por acréscimo” (Mateus 6,33). Jesus ao pronunciar essas palavras no Sermão da Montanha, disse que o reino de Deus significa encontrar nossa essência, nosso Eu Superior. Ao encontrarmos nossa essência, descobrimos a nossa verdadeira missão de vida na Terra e isso nos dá um imenso sentimento de felicidade e realização pessoal.
Ao vibrarmos nessa energia maravilhosa, o que acontece naturalmente é a prosperidade, todos os campos da nossa vida se equilibram e nossa existência se transforma no próprio paraíso, nossa vida passa a ser o céu aqui mesmo na Terra.
Volto ao início: O descobrimento de que a vida é uma experiência rica, única e especial ocorre quando nos damos conta de que tudo depende de cada um. Cada um é o comandante do seu próprio barco.
Assim a grande aventura, na qual estamos todos envolvidos, sabendo ou não, para que alcance seu objetivo, está muito bem orientada por Jesus.
Heitor Rodrigues Freire – Corretor de imóveis e advogado.

O descobrimento de que a vida é uma experiência rica, única e maravilhosa ocorre quando nos damos conta de que tudo depende de cada um de nós. Cada um é o comandante do seu próprio barco. 

Diria, por analogia, que nós poderíamos ser comparados ao capitão de um navio, empreendendo uma viagem onde poderão ocorrer tempestades, ondas agitadas, levantes, motins, calmarias, bonança e intempéries das mais variadas.

Última atualização em Qua, 16 de Maio de 2018 02:33
 
O significado esotérico da palmeira PDF Imprimir E-mail
Escrito por Heitor Freire   
Dom, 06 de Maio de 2018 20:54
O SIGNIFICADO ESOTÉRICO DA PALMEIRA
As palmeiras que coroam o entorno da Santa Casa conferindo-lhe nobreza, não foram frutos do acaso, de uma escolha aleatória.  Acredito que a fé profunda que anima o espírito do presidente da Santa Casa, Esacheu Cipriano Nascimento, foi a fonte inspiradora que o levou a escolher as palmeiras para esse entorno.
A palmeira tem um significado esotérico da mais alta espiritualidade, representando ascensão, vitória, regeneração e imortalidade. As características da palmeira a distinguem de todas as demais árvores e são muito representativas pelo seu simbolismo intrínseco.
Uma palmeira não se arranca facilmente, porque possui uma das raízes mais fortes. Sua raiz chega a penetrar 5 ou 10 metros, abaixo da terra, o que lhe confere estabilidade  Ela busca água até encontrá-la, o que lhe concede alimento permanente.
Ela procura os seus nutrientes dentro dela, procura não depender de ninguém. A sua vitalidade não vem de fora, mas de seu interior. O que, mais uma vez, nos remete ao ensinamento esotérico, ao acróstico V.I.T.R.I.O.L. Visita Interiorem Terrae, Rectificando Invenies Occultum Lapidem (Visita o interior da Terra, retificando-te encontrarás a pedra oculta). A sua firmeza decorre diretamente dessa sua condição intrínseca, da sua base.
A palmeira está habilitada a enfrentar ventanias que derrubariam a maioria das árvores. Um vento de 50 km por hora pode quebrar e arrancar uma árvore do chão mas uma palmeira resiste a ventos de até 150 km. Enfrenta ventos e tempestades. Ela se curva até o chão, se dobra, mostrando sua flexibilidade. A disposição espiral de suas fibras lenhosas também a torna uma árvore de flexibilidade e força incomuns, o que é outra de suas características, mas quando a ventania passa, ela volta à sua posição anterior: altaneira e majestosa.
O salmista já a consagrara no Salmo 92:13: “O justo florescerá como a palmeira, crescerá como o cedro do Líbano”. O livro dos Salmos com cento e cinquenta orações é o coração do Antigo Testamento. É a grande síntese que reúne todos os temas e estilos dessa parte da Bíblia. A palavra salmo quer dizer oração cantada e acompanhada com instrumentos musicais.
Os salmos supõem o contexto maior de uma fé que nasce da história e constrói história. Jesus rezava os salmos e sua vida e ação trouxeram significado pleno para o sentido que essas orações já possuíam na vida de Israel.
Na entrada triunfal em Jerusalém, Jesus foi saudado pela multidão com ramos de palmeira: “Então apanharam ramos de palmeira e saíram ao encontro de Jesus, gritando: ‘Hosana! Bendito aquele que vem em nome do Senhor, o rei de Israel’” (Jo 12:13).  Da mesma forma, em Apocalipse, 7:9, a grande multidão com folhas de palmeira nas mãos atribuiu a salvação a Deus e ao Cordeiro.
O que a Bíblia está nos dizendo é que devemos ter nossas raízes fincadas em terra firme e seguir com segurança. Deus quer que estejamos firmes como as palmeiras em nossa fé e em nosso relacionamento com Ele.
A palmeira pode ser cortada, mas ninguém pode matá-la, porque ela pega seus nutrientes dentro dela; a força e a vida não vêm de fora, mas sim de dentro.
Da mesma forma o ser humano foi concebido e formado para sobreviver a todas as tempestades.
A palmeira só não resiste ao frio. Ela floresce e cresce em meio ambiente quente. A palmeira reina no clima tropical. Nunca veremos uma palmeira no Alaska, porque o ambiente frio não lhe é propício.
Para finalizar, a palmeira é uma árvore longeva, dá frutos por quase cem anos. Após esse período começa a declinar, morrendo ao fim de duzentos anos. Os árabes dizem que a palmeira tem tantos usos quantos são os dias do ano.
Assim, vida longa às palmeiras do doutor Esacheu.
Heitor Rodrigues Freire – Corretor de imóveis e advogado.

As palmeiras que coroam o entorno da Santa Casa conferindo-lhe nobreza, não foram frutos do acaso, de uma escolha aleatória.  Acredito que a fé profunda que anima o espírito do presidente da Santa Casa, Esacheu Cipriano Nascimento, foi a fonte inspiradora que o levou a escolher as palmeiras para esse entorno.

A palmeira tem um significado esotérico da mais alta espiritualidade, representando ascensão, vitória, regeneração e imortalidade. As características da palmeira a distinguem de todas as demais árvores e são muito representativas pelo seu simbolismo intrínseco.

 
Das coisas sagradas PDF Imprimir E-mail
Escrito por Heitor Freire   
Seg, 30 de Abril de 2018 14:14
DAS COISAS SAGRADAS
Nós, seres humanos, estamos nos esquecendo das coisas sagradas. Coisas sagradas que não se encontram necessariamente em locais ditos sagrados. Mas que estão em toda parte. Tudo foi criado por Deus. Tudo é sagrado. As coisas sagradas permeiam o Universo.
É bom e útil que cada um de nós volte o seu olhar para elas. A sacralidade não decorre somente das coisas, mas também dos procedimentos. O amor, a gratidão, a generosidade e a gentileza são igualmente procedimentos sagrados.
Tudo provém de Deus. Nós é que não nos apercebemos disso. Deus nos dotou com todo o necessário para o nosso desenvolvimento físico, mental e espiritual. Deu-nos a fé, atributo intrínseco e infinito do nosso espírito. Fé não é crença, vem do latim fides (fidelidade). Se nós formos fiéis tudo se resolve. Fiéis a nós mesmos, à nossa mulher, à nossa família, à nossa profissão, à nossa Pátria.
O ser humano não consegue atingir isso porque simplesmente vive distraído por outros interesses, como a fortuna, o sucesso, a felicidade, a ânsia de vencer na vida, superar seus familiares, colegas, etc.
A encarnação é uma oportunidade de aprendizado, uma escola, onde cada um deve encontrar o seu próprio mestre em seu coração, pronto para ajudá-lo e guiá-lo. Então cabe a cada um aproveitar e fazer a grande mudança que lhe compete, agora.
A propósito das coisas sagradas, lembrei-me de um fato narrado, quando fui funcionário do Banco do Brasil, em Ponta Porã, por João Misael Mamoré, Rosacruz, pai do meu padrinho Douglas, ocorrido quando ele foi aprisionado pelas forças do exército italiano durante a Segunda Guerra Mundial.
Mamoré era expedicionário da FEB. Aconteceu o seguinte: Na prisão ele conheceu um padre que todos os dias celebrava uma missa particular. Observando como ele procedia, Mamoré verificou que na consagração da hóstia sagrada, o padre elevava um pedaço da hóstia da qual tirava um minúsculo pedaço para sua comunhão. E o padre lhe disse que fazia isso porque não sabia por quanto tempo ainda ficaria preso.
Mamoré, que tinha um profundo conhecimento esotérico, aconselhou ao padre que se em vez da hóstia, consagrasse, por exemplo, um pouco de grama, o resultado seria o mesmo. O padre resolveu experimentar. Logo depois, procurou Mamoré para lhe contar, maravilhado, que o efeito fora o mesmo; a consagração da grama lhe trouxe  a mesma energia que ele percebia no resto da hóstia, porque, na verdade, tudo é sagrado. E acabou libertando-o daquele resto de hóstia.
Outra coisa sagrada que é fundamental é o nosso corpo. O nosso corpo é constituído por órgãos, neurônios, células, moléculas e átomos que se relacionam entre si de forma integrada e inteligente. Cada um de nós foi dotado da energia da vida universal que envolve o nosso corpo e se constitui no nosso poder de cura interior. Do perfeito funcionamento de cada parte depende a harmonia do todo.
Quando a harmonia reina, tudo funciona. Quando há disputa entre os órgãos, ocorre a disfunção que gera mal estar, doenças, etc. Cada órgão tem a sua função e individualidade. Assim, para que o nosso corpo, que é o templo do nosso espírito, cumpra sua finalidade é fundamental a integração entre todos os órgãos.
E essa integração decorre do respeito e da consciência com que nos relacionamos internamente. Que depende da conjugação perfeita de diversos fatores, como pensamentos, atitudes, palavras, atos, alimentação.
Quando mastigamos os alimentos de forma a transformá-los em líquidos, a absorção deles pelo aparelho digestivo acontece de forma alegre e agradecida.
O que acontece é que nós estamos voltados para fora e nos esquecemos do fundamental, que é o nosso interior. Nós devemos falar com nossos órgãos para influenciar a harmonia interior, que será plena na exata medida da consciência verdadeira de nossos atos.
Daí, a verdade do ensinamento milenar: “Conhece-te a ti mesmo”.
“Se compreendes as coisas são como são; Se não compreendes, as coisas são como são”.
Heitor Rodrigues Freire – Corretor de imóveis e advogado.

Nós, seres humanos, estamos nos esquecendo das coisas sagradas. Coisas sagradas que não se encontram necessariamente em locais ditos sagrados. Mas que estão em toda parte. Tudo foi criado por Deus. Tudo é sagrado. As coisas sagradas permeiam o Universo. 

É bom e útil que cada um de nós volte o seu olhar para elas. A sacralidade não decorre somente das coisas, mas também dos procedimentos. O amor, a gratidão, a generosidade e a gentileza são igualmente procedimentos sagrados.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 9 de 99

Redes sociais

Facebook 
Hjemmeside Wildberry Telefoni Internet