Área restrita



Quem está online

Nós temos 23 visitantes online
JESUS PDF Imprimir E-mail
Escrito por Heitor Freire   
Qua, 26 de Dezembro de 2018 20:09
JESUS
O povo judeu, ao longo dos tempos, sempre foi hostilizado, perseguido e condenado como nenhum outro povo. E apesar disso, ou por causa disso, se mantém unido e firme na defesa de sua nacionalidade, de sua etnia e de sua religião. O que será que provoca tanta ojeriza a esse povo?
Liev Tolstoi, o célebre escritor russo, ponderou sobre a sobrevivência dos judeus, mas também sentiu que sua existência tinha a ver com um propósito único: “O que é um judeu?… Que espécie de criatura única é esta que todos os governantes de todas as nações do mundo desgraçaram e esmagaram e expeliram e destruíram; perseguiram, queimaram e afogaram e que, apesar de sua ira e sua fúria, continua a viver e a florescer?… O judeu é o símbolo da eternidade.… Ele é aquele que durante tanto tempo guardou a mensagem profética e a transmitiu a toda a humanidade. Um povo tal como este nunca poderá desaparecer. O judeu é eterno. Ele é a personificação da eternidade.”
O povo de Israel trabalhou duro para guardar o princípio da união.
De ninguém – senão dos judeus – se espera uma sociedade integralmente exemplar. A luz que os judeus estão obrigados a trazer às nações é a luz de uma sociedade unida, na qual responsabilidade mútua e amizade prevalecem, onde “ama teu próximo como a ti mesmo” é o lema, a fundação, e a meta à qual os indivíduos na sociedade aspiram alcançar.
Foi o povo que recebeu os Dez Mandamentos, por intermédio de Moisés.
Há mais de dois mil anos, a humanidade recebeu a Luz que passou a iluminar todos os quadrantes da Terra, desde então e para sempre: Jesus. Que era judeu, da tribo de Judá, filho de judeu, descendente de judeus.
Seu pai, José, era judeu. Sua mãe, Maria, era judia. Seus avós eram judeus. Todos os seus discípulos eram judeus. Paulo, depois de ter sido o mais encarniçado perseguidor de Jesus, foi depois o maior divulgador de seus ensinamentos. Era judeu. Nós já aprendemos que nada acontece por acaso. E então? Os judeus sempre se consideraram como o povo escolhido de Deus.
Segundo o Livro de Urântia, editado pela Urantia Fundation, “Michael (Jesus), finalmente escolheu Urântia (Terra) como o planeta para cumprir sua auto-outorga final. Depois dessa decisão, Gabriel fez uma visita pessoal a Urântia e pelo resultado de seu estudo dos grupos humanos e de sua pesquisa das características espirituais, intelectuais, raciais e geográficas do mundo e de seus povos, ele decidiu que os hebreus possuíam aquelas vantagens relativas que garantiriam sua seleção como a raça para a auto-outorga”.
Essas considerações todas vêm à tona por ocasião do mês de dezembro, em que se comemora o nascimento de Jesus. Ele marcou de forma indelével a história da humanidade. Tão forte que a história se conta antes e depois do seu nascimento.
Jesus já foi estudado como homem, como carpinteiro, como político, como líder religioso. Ao longo dos milênios, usurpando o seu nome, matou-se muito e de forma contraditória, pois Ele mais do que ninguém pregou a paz e o amor.
Ele não fundou nenhuma religião. Simplesmente deixou o seu exemplo como testemunho maior de seu ensinamento: “Amar a Deus sobre todas as coisas do céu e da terra e ao próximo como a ti mesmo”. Sua mensagem foi tão marcante e verdadeira que se estendeu por todos os quadrantes do nosso planeta e assim deve permanecer para sempre.
É Ele quem inspira grande parte dos seres deste planeta. Neste mês que se reveste de uma energia espiritual de alta significação exatamente porque vem Dele, do seu nascimento, essa energia faz com que muitas as mentes e corações se sintam tocados e voltados para o amor universal.
Vamos vibrar e trabalhar para que essa energia envolva a todos nós e se irradie por todos os meses do próximo ano e para sempre.
Heitor Rodrigues Freire – Corretor de imóveis e advogado.

O povo judeu, ao longo dos tempos, sempre foi hostilizado, perseguido e condenado como nenhum outro povo. E apesar disso, ou por causa disso, se mantém unido e firme na defesa de sua nacionalidade, de sua etnia e de sua religião. O que será que provoca tanta ojeriza a esse povo?

Última atualização em Dom, 30 de Dezembro de 2018 11:41
 
Os mamilos do homem PDF Imprimir E-mail
Escrito por Heitor Freire   
Ter, 18 de Dezembro de 2018 02:00

 

O corpo humano constitui um universo de órgãos, células, átomos, moléculas e neurônios que se distribuem ao longo do corpo, cada um na sua função e todos no mesmo conjunto, representando uma prova muito clara da sabedoria de Deus. A perfeição do corpo humano é inquestionável.

 
Os mistérios do umbigo PDF Imprimir E-mail
Escrito por Heitor Freire   
Seg, 10 de Dezembro de 2018 21:53
OS MISTÉRIOS DO UMBIGO
O umbigo, essa marca central em nosso corpo sobre o qual já falei no artigo anterior, suscitou em mim uma curiosidade crescente que me levou a pesquisar mais sobre esse tema misterioso.
O umbigo é como se fosse a nossa impressão cósmica de uma relação transcendente, nossa marca individual, espiritual, com a nossa matriz, mãe, que nos nutriu e manteve durante todo o período da gestação, e cuja relação nos uniu de forma definitiva em nossa encarnação. É um registro indelével de que primordialmente estivemos conectados a outra pessoa e totalmente dependente dela.
Descobrir e estudar o umbigo está se constituindo para mim num processo que enriquece o meu autoconhecimento. O mistério que envolve o umbigo o torna um enigma a ser decifrado. É como se fosse minha esfinge pessoal. É o meu nó górdio que foi cortado, mas tenho que desatar cosmicamente.
O papel do umbigo vai além da psiquê e da biologia. É, também, um ponto cármico, um nó de energias para inúmeras tradições religiosas e culturais. É nessa região da barriga que se concentra a energia vital – o ki dos japoneses, o chi dos chineses e o prana dos indianos. De acordo com a professora de kundalini ioga Sridevi Gabriele Oliveira, criadora da Cura do Feminino, existem diferentes tradições no estudo dos pontos de energia, o que leva a pequenas variações na interpretação de suas funções, posição e cor. “A minha tradição principal, o kundalini ioga, diz que no ponto do umbigo fica o terceiro chacra, onde está nosso poder pessoal, que pode ser ligado ao hara, da tradição chinesa, um ponto de vitalidade que diz respeito a nossa radiância no mundo, a nossa capacidade de nos projetarmos e realizarmos algo”.
Na tradição do kundalini ioga, o elemento do chacra do umbigo é o fogo, sua cor é amarela e está ligado a Lakshmi, a deusa da prosperidade. “Por isso se diz que quando este chacra está equilibrado, a pessoa terá uma boa relação com a parte financeira, realização profissional, ou seja, há uma conexão com o campo material.”
Aí já está uma relação que suscita a busca de entendimento para uma aplicação consciente em prol da prosperidade, que sempre é uma constante em nossas vidas.
Li numa publicação na internet que massageando o umbigo com óleo de coco, antes de dormir, no sentido horário e estendendo-se o diâmetro até uma distância aproximada de quatro centímetros, obtém-se harmonia interior. Resolvi experimentar. E o resultado foi surpreendente: eu que normalmente me levanto várias vezes à noite, no primeiro experimento dormi a noite toda só acordando no meu horário habitual no dia seguinte. No segundo e no terceiro, o período de descanso foi prolongado, pois só acordei uma vez durante o sono. Ou seja, a dormida foi mais completa, ocasionando realmente uma profunda harmonia interior. Eu aprendi a confirmar tudo o que chega ao meu conhecimento. Assim posso testemunhar que a prática funciona mesmo. E já está incorporada aos meus usos e costumes.
Sridevi Gabriela continua:  “O terceiro chacra também está bastante ligado ao ego. Se não estiver em harmonia, se estiver com excesso de energia, a pessoa pode sofrer com a arrogância. O ego estará muito grande e haverá dificuldade para abrir o próximo chacra, que é o do coração. A pessoa tem muito fogo, muita força de realização, mas não abre o coração, o que traria compaixão, paz, capacidade de pausar entre as realizações, traria o amor ao próximo. Assim, ela ficará presa em si mesma”. O oposto também pode ocorrer. A baixa energética no terceiro chacra impacta na autoconfiança, resultando em timidez, vergonha e vitimização. Ou seja, a busca da harmonia nos proporcionará equilíbrio emocional e libertação da influência negativa do ego, esse ditador que nos compete eliminar.
Vivendo e aprendendo.
Heitor Rodrigues Freire – Corretor de imóveis e advogado.
.

O umbigo, essa marca central em nosso corpo sobre o qual já falei no artigo anterior, suscitou em mim uma curiosidade crescente que me levou a pesquisar mais sobre esse tema misterioso.

O umbigo é como se fosse a nossa impressão cósmica de uma relação transcendente, nossa marca individual, espiritual, com a nossa matriz, mãe, que nos nutriu e manteve durante todo o período da gestação, e cuja relação nos uniu de forma definitiva em nossa encarnação. É um registro indelével de que primordialmente estivemos conectados a outra pessoa e totalmente dependente dela.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 3 de 103

Redes sociais

Facebook 
Hjemmeside Wildberry Telefoni Internet