Área restrita



Quem está online

Nós temos 10 visitantes online
Uma mulher de valor PDF Imprimir E-mail
Escrito por Heitor Freire   
Qua, 19 de Julho de 2017 20:15
UMA MULHER DE VALOR
Campo Grande, “a babel que deu certo”, segundo o historiador Edson Contar, por ser resultado do caldeamento de muitas raças e nacionalidades, sempre foi uma fonte de negócios e de empreendimentos. Aqui aportaram árabes, japoneses, paraguaios, bolivianos, portugueses, espanhóis e italianos, que se somaram aos habitantes locais e construíram esta cidade que todos amamos.
O seu futuro foi muito bem delineado pelo vereador Trajano Balduíno de Souza, que em 1918, muito inspirado, criou o hino da cidade, que assim canta, em sua primeira estrofe:
“Campo Grande que outrora um deserto,
Transformou-se em cidade primor,
É de jóias escrínio aberto,
É uma gema de fino lavor!”
Com a criação do estado de Mato Grosso do Sul e a implantação da capital em Campo Grande, em 1979, um surto de progresso tomou conta da nossa cidade. Novas atividades foram sendo implantadas.
E foi assim que em 1986, uma jovenzinha com 21 anos sonhou um grande ideal: criar uma academia completa com ginástica, natação e musculação, onde seus antepassados vindos do norte da Itália aqui aportaram, tendo o apoio entusiástico de sua mãe e de sua irmã, então com 16 anos.
A jovenzinha Mara Tesser, a mãe Terezinha Tesser e a irmã, Marisa Tesser.
Assim, Mara inaugurou o seu projeto: Praktika Academia, com o que tinha de mais avançado na época de aparelhos de musculação, piscina aquecida, hidroginástica, sauna e sala de aula.
Seguindo desde o início as tendências dos grandes centros, a academia inaugurou diversas atividades como natação para bebês, aeróbica de alto impacto, step, yoga, entre outras aulas.
A evolução foi constante, e em 1990 inovou com as aulas pré-coreografadas, por intermédio da Body Systems, que patenteava as aulas da Les Mills, da Nova Zelândia.
Em 1992, a academia foi ampliada. Em 2007, mais um projeto ousado e inédito no Brasil. Uma mostra de arquitetura e design. A proposta de fazer a Mostra Praktika Design nasceu não apenas da necessidade de fazer uma reforma física na academia, oferecendo mais espaço para seus alunos e investindo em modernos aparelhos para a musculação, mas também como um diferencial em relação às outras academias.
Mais novidade ainda: acompanhando a evolução do mercado, a equipe da Praktika buscou parcerias com renomados arquitetos e designers para lançar uma nova proposta, com a transformação do espaço para atender seus alunos no conceito “Saúde e Bem-estar”.
A Praktika continuou inovando em 2014, em 2015 e também em 2016, com uma nova reforma que exigiu um investimento elevado e o aproveitamento de todos os espaços ainda disponíveis, e assim a nova academia Pratika foi reinaugurada.
Acompanhei parte dessa evolução. Neste 2017, completo quatro anos como aluno permanente da academia e me sinto beneficiado por toda essa inovação e pela equipe de professores de alto padrão.
A Mara Tesser soube, com competência e dedicação, montar um corpo de profissionais de alta estirpe que é o principal patrimônio da academia, uma equipe especializada de professores e personal trainers que trabalham com dedicação para oferecer aos seus alunos o que há de melhor na área do cuidado com a boa forma.
Mara conseguiu também criar um espírito de cooperação que tornou a nossa academia um local agradável de prática esportiva e de convívio com pessoas de alto nível.
Nesta oportunidade rendo minhas homenagens e meu reconhecimento à ousadia, coragem e valentia de Mara Tesser, que conseguiu realizar o seu sonho.
Uma mulher de valor.
Heitor Rodrigues Freire – Corretor de imóveis e advogado.

Campo Grande, “a babel que deu certo”, segundo o historiador Edson Contar, por ser resultado do caldeamento de muitas raças e nacionalidades, sempre foi uma fonte de negócios e de empreendimentos. Aqui aportaram árabes, japoneses, paraguaios, bolivianos, portugueses, espanhóis e italianos, que se somaram aos habitantes locais e construíram esta cidade que todos amamos.

 
A fonte é uma só PDF Imprimir E-mail
Escrito por Heitor Freire   
Seg, 10 de Julho de 2017 21:59
A FONTE É UMA SÓ
“O futuro é construído pelas nossas decisões diárias, inconstantes e mutáveis, e cada evento influencia todos os outros”. (Alvin Toffler).
Procurando entender a frase acima, fui construindo um raciocínio de como definir minhas decisões diárias para que meus atos não sejam inconstantes e mutáveis, mas sim previsíveis e consequentes, de acordo com os meus desejos.
Percebi que em minha mente os meus sentimentos entram em conflito com meus pensamentos. O meu coração diz uma coisa, a minha ação o contradiz. Assim, é gerada uma energia contraditória  que não leva a lugar nenhum porque não tem um propósito definido.
A única maneira de organizar e dirigir minha ação de forma eficaz é canalizar minha energia de forma harmônica para que eu alcance um resultado coerente com meus sentimentos e emoções.
A ciência quântica, que tem entre seus maiores divulgadores o cientista americano Gregg Braden, mostra com muita clareza que essa contradição a que aludi acima é o grande obstáculo para que meus desejos sejam concretizados.
Lembrei-me também de Baruch Spinoza, filósofo holandês do século XVII, que formulou um conceito de Deus tão forte e tão importante que Einstein quando perguntado se acreditava em Deus, respondeu: “Acredito no Deus de Spinoza, que se revela por si mesmo na harmonia de tudo o que existe, e não no Deus que se interessa pela sorte e pelas ações dos homens”.
Do tratado de Spinoza, transcrevo uma parte:
“Esquece qualquer tipo de mandamento, são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti. Respeita o teu próximo e não faças aos outros o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção à tua vida; que teu estado de alerta seja o teu guia. Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno”.
Assim, constato que ao longo dos tempos, os religiosos e filósofos foram formulando suas teorias, teses e ensinamentos buscando orientar a humanidade para uma finalidade única: alcançar a liberdade de pensamento e de ação para uma evolução constante, por meio do autoconhecimento.
A propósito desse mesmo tema, há o Manuscrito dos Essênios, encontrado numa caverna em Qumran, nas imediações do Mar Morto, contendo o Código de Isaías que descreve tudo que a ciência quântica começou a compreender há poucos anos, ou seja, a existência de muitos futuros possíveis para cada momento de nossas vidas e que, na maioria das vezes, escolhemos inconscientemente.
Cada um desses futuros encontra-se em estado de repouso, esperando ser despertado conforme nossas decisões tomadas no presente. O Código de Isaías descreve com precisão essas possibilidades, numa linguagem que só agora começamos a entender. Isaías descreve a ciência que nos ensina como escolher o tipo de futuro que queremos experimentar.
Os essênios eram uma das seitas dos judeus – as outras duas eram os saduceus e os fariseus –, que conservavam a tradição dos profetas e o segredo da Pura Doutrina. De costumes irrepreensíveis, moralidade exemplar, pacíficos e de boa-fé, dedicavam-se ao estudo espiritualista, à contemplação e à caridade, ao contrário do materialismo presente na época.
Era um povo muito além de seu tempo e procuravam servir a Deus, auxiliando o próximo, sem imolações no altar e sem cultuar imagens. Eram livres, trabalhavam em comunidade, vivendo do que produziam. Não eram adeptos da escravidão.
Misturando de tudo um pouco, Toffler, ciência quântica, Spinoza e o Código de Isaías, chego à conclusão que de fato, a fonte é uma só.
Assim, nosso futuro depende de nossas decisões presentes, sempre. E devemos dirigir-nos à fonte. Que, no meu entendimento, está no coração de todos nós.
Só depende de cada um agir conscientemente.
Heitor Rodrigues Freire – Corretor de imóveis e advogado.

O futuro é construído pelas nossas decisões diárias, inconstantes e mutáveis, e cada evento influencia todos os outros”. (Alvin Toffler).

Procurando entender a frase acima, fui construindo um raciocínio de como definir minhas decisões diárias para que meus atos não sejam inconstantes e mutáveis, mas sim previsíveis e consequentes, de acordo com os meus desejos. Percebi que em minha mente os meus sentimentos entram em conflito com meus pensamentos. O meu coração diz uma coisa, a minha ação o contradiz.

 
85 anos PDF Imprimir E-mail
Escrito por Heitor Freire   
Qua, 05 de Julho de 2017 00:55
85 ANOS
Na primeira metade do século passado os acontecimentos que se sucederam na nossa cidade constituíram-se em momentos memoráveis pela natureza de que foram revestidos e pelas consequências trazidas para o engrandecimento da nossa cidade e da nossa gente.
Entre esses acontecimentos, há um que se destaca por revelar com muita clareza o caráter, o idealismo, o compromisso e a responsabilidade dos líderes da nossa cidade e que marcou, por muito tempo, a formação de nossos políticos: a Revolução Constitucionalista de 32. Que neste 9 de julho completa 85 anos.
Naquele ano, os paulistas inconformados com os rumos pelos quais o presidente Getúlio Vargas vinha conduzindo o país começaram um movimento de oposição ao governo central.
Vargas, comandante vitorioso da Revolução de 30 que derrubou o presidente Washington Luís – carioca, mas que se notabilizou como político paulista –, quase ao final do seu mandato gerou uma insatisfação muito grande.
O governo dito provisório de Vargas, que havia se comprometido a realizar eleições, concentrou poder e nomeou interventores em todos os estados. Os paulistas exigiam a elaboração de uma nova constituição, a convocação de novas eleições e a saída do interventor no estado, o pernambucano  João Alberto. Não aceitavam a forma autoritária de governo de Getúlio.
Naquela oportunidade, os políticos do sul de Mato Grosso se identificaram com os revolucionários de São Paulo e aderiram ao levante insurrecional, deflagrado no dia 9 de julho daquele ano, 1932.
O então comandante da 9ª Região Militar com sede em Campo Grande, general Bertholdo Klinger, foi convocado para assumir o comando das tropas revolucionárias em São Paulo, e contando desde o princípio com a simpatia dos políticos do sul do nosso estado, decidiu criar um ponto de apoio em Campo Grande.
E assim, por um ato revolucionário, o general Klinger, antes de seguir para São Paulo de trem, transferiu a sede do estado de Cuiabá para Campo Grande, nomeando  Vespasiano Barbosa Martins, para o cargo de governador do estado. Este acontecimento se deu principalmente porque o norte de Mato Grosso permaneceu legalista e leal ao governo federal.
Os acontecimentos despertaram o espírito cívico da nossa população e, sob a liderança de Vespasiano, organizou-se a força expedicionária. A contribuição do nosso estado foi significativa, com pessoal, material bélico, alimentos, doação de cavalos, bovinos e arrecadação de recursos. Apesar disso, a comemoração anual da revolução em São Paulo raramente menciona a participação do nosso estado.
Todos os atos que o Diário Oficial publicou durante o governo de Vespasiano referem-se ao estado de Mato Grosso. Ou seja, o nome do estado permaneceu o mesmo, só houve a mudança da capital e do governador.
O ideal revolucionário consubstanciado na legalidade e na edição de uma nova constituinte foi a grande motivação de nossa gente, que se mobilizou de forma muito consciente e unida.
A semente que estimulou e norteou as lideranças em nosso estado produziu frutos que geraram novos políticos imbuídos do ideal da legalidade. E também ajudou a formar o caráter que moldou várias gerações de líderes que se destacariam depois, tais como Demóstenes Martins, Etalívio Pereira Martins, Athamaril Saldanha, Fernando Corrêa da Costa, Arnaldo Estevão de Figueiredo, Dolor de Andrade e Arlindo Gomes de Andrade.
O movimento inspirou também a mobilização da classe estudantil daquela época, a exemplo de Oclécio Barbosa Martins, Paulo Coelho Machado, Ruben Castro Pinto (presidente da Liga Sul-mato-grossense de Estudantes, criada em 1932 no Rio de Janeiro), Wilson Barbosa Martins (ainda vivo, completou 100 anos no dia 21 de junho), e muitos outros, que agiram sempre inspirados por esse mesmo ideal.
Esse movimento que agora completa 85 anos foi crucial para a ideia da criação do nosso estado. Uma semente fértil de frutos abundantes.
Heitor Rodrigues Freire – Corretor de imóveis e advogado.

Na primeira metade do século passado os acontecimentos que se sucederam na nossa cidade constituíram-se em momentos memoráveis pela natureza de que foram revestidos e pelas consequências trazidas para o engrandecimento da nossa cidade e da nossa gente.

Entre esses acontecimentos, há um que se destaca por revelar com muita clareza o caráter, o idealismo, o compromisso e a responsabilidade dos líderes da nossa cidade e que marcou, por muito tempo, a formação de nossos políticos: a Revolução Constitucionalista de 32. Que neste 9 de julho completa 85 anos.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 3 de 81

Redes sociais

Facebook 
Hjemmeside Wildberry Telefoni Internet