Categorias
Heitor Freire

Do Instituto III

O Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul, em 2004, através de uma alteração em seu estatuto, acrescentou em sua competência o desenvolvimento institucional – aquele que visa definir as necessidades do presente, identificando as causas históricas, mediatas e imediatas para promover o progresso social, político e econômico do nosso estado –  que acabou gerando uma nova alternativa em suas atividades.
“O estado de Mato Grosso do Sul, foi criado por razões históricas, geográficas, culturais, entre outras. E principalmente porque naquela década, no novo desenho do Brasil, aparecia como produtor estratégico de carne e grãos. A instalação da nova unidade federativa provocou uma onda de euforia e de esperanças; no entanto, não se desenvolveu plenamente, como se esperava. Por quê? Como se apresenta o cenário atual? Que direções podemos tomar?”. Com essa proposta,  e cumprindo a nova disposição estatutária, o IHGMS promoveu o I Seminário de Desenvolvimento Institucional, em 2006, no período de 8 a 10 de junho.
Nos contatos iniciais contamos com a preciosa assessoria do promoter e colunista social Djalma Loubet, que foi também o mestre de cerimônias do evento, realizado no Teatro do Prosa.
A abertura foi feita pelo coronel Ozires Silva, que já havia sido presidente da Embraer –  e o grande impulsionador da nossa nascente indústria aeronáutica –, presidente da Petrobrás, ministro das Minas e Energia, enfim uma estrela de primeira grandeza no cenário nacional. E que nos deixou um legado de humildade e simplicidade. Na sua conferência, narrou um fato ocorrido em Campo Grande, quando aqui veio para divulgar o Bandeirantes, que era na época o carro-chefe da Embraer. Ao fazer um vôo de demonstração, com o avião pilotado por ele – coronel-aviador com uma excelente performance como piloto –, cometeu um erro: ao aterrissar esqueceu de baixar o trem de pouso e acabou pousando de barriga –  um fato inusitado que foi, inclusive, notícia  nacional e que, apesar da frustração (e do susto), não comprometeu o desempenho de vendas dessa aeronave.
A programação do seminário foi bem ampla, contendo uma visão de todas as atividades do estado: os aspectos históricos da construção de Mato Grosso do Sul, (professor Hildebrando Campestrini), a conquista histórica  (Ruben Figueiró), passando pelo meio ambiente (Alcides Faria), turismo (Vera Tylde de Castro Pinto), agricultura (Famasul – Leôncio de Brito Filho), indústria (Fiems – Roberto Wolff), comércio e serviços (Marisa Mujica), comércio exterior (João Campos), cultura (Humberto Espíndola), políticas públicas (prof. Paulo Cabral) e, no encerramento, educação (novamente o prof. Campestrini).
O segundo seminário, em 2007, de 13 a 15 de agosto,  teve como tema, a comemoração do Jubileu de Brilhante –  75 anos –  da Revolução Constitucionalista de 1932, em que o sul do nosso estado teve uma atuação muito importante, com a implantação do estado de Maracaju, decretado por Vespasiano Martins,  que assumiu o governo estadual. Com a deflagração do movimento revolucionário, o general Bertholdo Klinger – comandante da 9ª Região Militar – assumiu o comando supremo das forças revolucionárias, deslocando-se de trem para São Paulo, pois o avião que veio buscá-lo teve uma pane em Baurú e lá ficou. A nossa participação foi marcante devido às tropas que daqui se deslocaram para São Paulo, e também pelo fato de ser o único estado solidário com São Paulo, pois Minas Gerais que havia aderido no início, na hora decisiva, acabou recuando mineiramente.
Para preservação da memória, o Instituto programou dois eventos: o primeiro no dia 11 de julho de 2007, no Templo da Loja Maçônica Oriente Maracaju –  local histórico onde foi instalado o governo do estado, em 11 de julho de 1932 – com a participação do governador do estado André Puccinelli,  do presidente da Assembléia Legislativa, do comandante do Comando Militar do Oeste, do comandante da Base Aérea, do prefeito, e outras importantes autoridades, quando também foi inaugurado um marco alusivo a esse fato, na entrada do Templo. Nessa solenidade esteve presente o capitão Gino Struffaldi, presidente da Sociedade de Veteranos de 32 – MMDC, de São Paulo, que veio especialmente para essa comemoração, e homenageou as autoridades presentes ao evento com a Medalha Constitucionalista.
O segundo evento, II Sedims, do dia 13 a 15 de agosto aconteceu no Teatro do Prosa. Nessa ocasião,  foi empossado o presidente de honra do Instituto, governador André Puccinelli, seguida de uma palestra do professor Campestrini, sobre a Revolução Constitucionalista. Na oportunidade também foi agraciado com uma placa comemorativa o Comando da Polícia Militar, por sua participação naquela Revolução.
Na seqüência,  palestras de: Wilson Barbosa Martins – genro de  Vespasiano Martins –  que por ter presenciado o  movimento deu o seu testemunho; de Vera Tylde de Castro Pinto e Vera Maria Machado Pereira, que  apresentaram um vídeo com o histórico  da Liga sul-mato-grossense de estudantes criada em 1932, no Rio de Janeiro e da Liga sul-mato-grossense, lançada em 1977, em nossa capital; do professor Francisco Mineiro Júnior que  abordou a reorganização do Exército Brasileiro; e para encerrar houve uma mesa redonda, com o tema “Do estado de Maracaju ao estado de Mato Grosso do Sul” mediada pelo professor Campestrini e com a participação dos professores Idara Duncan, Paulo Cabral e Valmir Batista Corrêa.
Estes eventos demonstram de forma cristalina o trabalho do  Instituto Histórico e Geográfico de MS,  voltado para a preservação da memória do nosso estado, apresentando sempre as possíveis alternativas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *